18 de março de 2020 às 09:16

COI afirma que ainda é cedo para medidas drásticas e mantém data da Olimpíada

Crédito:lancenet

Após nota divulgada pelo primeiro-ministro japonês, Shinze Abe, na manhã desta terça, o Comitê Olímpico Internacional (COI) realizou uma videoconferência e afirmou que ainda é cedo para tomar medidas drásticas, como adiamento ou cancelamento da Olimpíada de Tóquio, por conta do surto de coronavírus por todo o mundo. Isso porque o início da competição só ocorrerá no dia 24 de julho deste ano.

- O COI permanece totalmente comprometido com os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e, com mais de quatro meses antes dos Jogos, não há necessidade de decisões drásticas nesta fase; e qualquer especulação neste momento seria contraproducente - destacou o Comitê. Além disso, o presidente do COI, Thomas Bach, comentou que o comitê tomará todas as medidas necessárias para preservar a saúde e o bem-estar dos envolvidos nas Olimpíadas de Tóquio.

- A saúde e o bem-estar de todos os envolvidos nos preparativos para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 são a nossa principal preocupação. Todas as medidas estão sendo tomadas para salvaguardar a segurança e os interesses dos atletas, treinadores e equipes de apoio. Nós somos uma comunidade olímpica, nos apoiamos nos tempos bons e nos difíceis. Essa solidariedade olímpica nos define como uma comunidade - disse Thomas Bach, presidente do COI.



Com isso, o COI ratificou que continuará agindo de forma responsável e reafirmou que em fevereiro foi criada uma força-tarefa composta pelo Comitê Internacional, junto da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Comitê Organizador de Tóquio 2020, das autoridades japonesas e do governo metropolitano de Tóquio.

Segundo a nota, cabe a essa força-tarefa monitorar a situação, atualizar de maneira constante o andamento operacional, assim como proteger a saúde de todos os envolvidos e apoiar a contenção do vírus e os interesses dos atletas e do esporte olímpico. O comitê seguirá as orientações dessa força-tarefa e todas as decisões serão de acordo com essas análises. 

Até o momento a pandemia global do novo coronavírus infectou quase 180 mil pessoas de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e matou mais de sete mil cidadãos em todo o mundo. Apesar de ter aparecido na Ásia, o epicentro do vírus está na Europa, com um grande número de infectados na Itália, Espanha e França.

Fonte: LANCE

comentários

Estúdio Ao Vivo